domingo, 18 de outubro de 2009

vitória


quem me dera
ter coragem
e essas asas abertas
para lançar-me
incerta
da vitória ou do fracasso
jogar-me assim
nos braços
do amanhã que nem sei

quem me dera
essas pernas
esse tronco
e a transparência
da alma em pedra
a incandescência

quem me dera
ir além

8 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Já tem coragem
e asas abertas
- só pelo fato de ser médica!

Parabéns pela data
e pelo exercício
de uma profissão
tão bela...

Beijo.

Rosele disse...

Que lindo! Singelo e profundo!

BAR DO BARDO disse...

já foi

RUBENS GUILHERME PESENTI disse...

deixe
a casa
bolsas
sacolas
malas
largue
as alças

sim
pegue
as asas
que te
alçam
ao som
ao vento
ou mesmo
ao nada.

Adolfo Payés disse...

Un gusto inmenso conocer tu blog.. me ha gustado mucho. acogedor y tus versos son maravillosos, te sigo para poder leerte con mas frecuencia.


Un abrazo
Con mis Saludos fraternos...

Marcelo Novaes disse...

Bonito salto.

ParadoXos disse...

imagéticamente elevado!


abraços

V. disse...

Hi, doctoress. Excelente.
Aguardo seu retorno ao nosso trabalho.

O Estúdio está morrendo... precisando de ajuda médica (especialmente, na sua especialidade: poesia para poetas lusófonos portadores de saudade).