segunda-feira, 14 de setembro de 2009

(e)terno sentir

distância que não separa
toque sentido em imagem e palavra
um beijo ficou retido entre os lábios e a espera
e o corpo assim desfeito retorna a outro tempo
qual quimera...
brilho nos olhos, puro anseio
sonho de união tão permanente
que liga, atemporal, almas sedentas
de um amor assim tão transcendente
que em lutas e doçuras bem supera
dias, mares e destinos
e que, quando prestes a apagar, já reacende
e em chama única se entrega
fruto de razão e desatino
'

3 comentários:

há palavra disse...

... "e o corpo assim desfeito" - bonita a imagem!

bons caminhos!

Mahria disse...

A distância não separa o (e)terno sentir...

Bjs anjo
Mah

BAR DO BARDO disse...

biito