quarta-feira, 17 de junho de 2009

[tudo tem seu tempo...]

tudo tem seu tempo:
morangos em maio
pêssegos em dezembro...

bem queria a nau dos dias pilotar...

trazer-te de volta
refazer os passos
concluir o beijo

mas perdi o leme
te perdi no mundo
e me perdi no mar...

paciência, menina, paciência...

neste estranho mundo
tudo tem seu tempo:
morangos em maio
pêssesgos em dezembro

um simples instante é eterno
e a vida toda é um momento

'

5 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Tudo tem seu tempo.
Exceto a saudade...

Lindo, Márcia!

Sorana disse...

amei........ um dia vc me disse...o tempo é o melhor remédio....e foi,melhor, está sendo...saudadess... bjoss

Thales Rafael disse...

Perder-se no tempo é quase um imperativo. Ser engolido por horas, minutos, dias e não ter a certeza do que é temporão, efêmero ou duradouro. Essa construção humana que nos prende em angústias, mas rende belos poemas.

Thales Rafael disse...

Marcia, conheço seu blog há pouco tempo mas gosto bastante de suas poesias. Recebi um prêmio em um blog meu e repasso a você por suas palavras. É só ir buscá-lo em contro-verso.blogspot.com.

Bea - Compulsão Diária disse...

Tudo tem seu tempo e tudo é efêmero: pessegos, morangos , peles;))