sábado, 27 de fevereiro de 2010

prece



salvai-nos, senhor, da santa monotonia
da sagrada mesmice
da virtuosa mediocridade
que nos torna a todos o mesmo
o igual, o bege sem listras nem flores

concedei-nos, senhor, uns pecados
que entre o pó da chegada e o da partida
viva-se um pouco de umidade
reguem-se as sementes das idéias
de suor, esperma ou sangue

livrai-nos, senhor, de todo o desamor
de toda a indiferença
da placidez amornada
da acomodação covarde
que nos cala às madrugadas a voz desesperada

guiai-nos, senhor, aos caminhos obscuros
às trilhas virgens de pegadas
aos becos, aos cantos
às esquinas mal iluminadas
habitat e esconderijo dos ódios e dos desejos

fazei, senhor, de nosso corpo
sede de gozo ou de dor
mas purificai-nos, senhor, da mortificação do sono plácido
despido de sonhos e sem gemidos

abri-nos, senhor, as portas desta vida nesta vida
nesta única, nesta ínfima, nesta simples vida
e deixai-nos eternamente em paz
quando, um dia, subitamente ela se for
`
imagem: o pecado original e a expulsão do paraíso, michelangelo

9 comentários:

Rachel disse...

Ganz prima geschrieben und durchdacht...

gefällt mir sehr!!!

herzlich, Rachel

Talita Prates disse...

Marcia, gostei MUITO!

Li e reli para sorver o máximo que me era possível.

de certa forma, teu poema se relaciona com o meu "do fruto da vida", postado em 14/02/2010.

que o deus nos ouça, amém.

Um bjo,

Talita
História da minha alma

Joe_Brazuca disse...

Espetacular !

é pra ler e reler mesmo !

um beijo

(compartilhei no FB...muito bom !!!)

Inspiradíssima !

Cíntia Thomé, Jornalista, Poeta . disse...

Joe me fez vir aqui e estou pasma...belo poema
iindaga, faz crescer...um grito...

Parabens!!!!

marcia szajnbok disse...

vielen danke rachel!

nossos blogs são irmãos, talita!

joe, sou fã do seu blog e agradeço muito pela divulgação do meu!

volte sempre, cinthia!

BAR DO BARDO disse...

a semente tem que apodrecer para que a plantinha nasça

"o bege sem listras nem flores" - sintese (im)perfeita

gostei de tudo

evoé!

Nydia Bonetti disse...

Marcia

Encontrei tua poesia no post do Joe, no facebook. Que poema lindo. Depois encontrei teu blog. Como eu nunca te vi (li)? :) Tudo muito bom por aqui. Claro que voltarei. Beijo, boa semana!

Renata de Aragão Lopes disse...

Que prece perfeita!
Digna, de fato,
de ser repetida.

"abri-nos, senhor,
as portas desta vida
nesta vida"

Um de seus poemas
mais lindos, Márcia!
Talvez porque eu ame
verdadeiramente o tema...

Um beijo!

Carla disse...

encantada!! com voce, sua escrita, sua sensibilidade...
estarei sempre por aqui
beijos =)