quarta-feira, 5 de maio de 2010

sem


ausência é nada

e ainda tudo
buraco sem fundo
escuro e mudo
sem tempo e eterno
o agora confunde
nunca mais para sempre
inesgotável murmúrio

ausência é só
ausência é onde?
é fome, é pó
na estrada infinita
onde a procura avança
é sempre mais longe
ali nunca está
no vasto vazio
o eco responde:
desesperança

ausência é fim
é o último ponto
dentro de mim

ausência é a morte do sonho


'
fonte da imagem:http://deltacat.blogs.sapo.pt/arquivo/original_empty_room.jpg

5 comentários:

Nydia Bonetti disse...

ausência é dor que dói demais...
beijo, Márcia.

Mariana Valle disse...

Lindo, Márcia! O eco responde: onde?

Renata de Aragão Lopes disse...

"Ausência é nada."
(...)
é a morte do sonho."


Lindo, Márcia!

Um beijo,
doce de lira

BAR DO BARDO disse...

morte do sonho
=
despertar

bom texto!

Ďสήđặяส ™ disse...

Ausência é um mal que mata e que corroe mais que se torna exencial pra aprender a viver.


bjos!