terça-feira, 4 de novembro de 2008

Amanda


Marcia Szajnbok


Amanda
Sim, que é tão amada
Que sente tanto
E pensa muito
E sabe sempre
Como a vida
É complicada...

Ah, Amanda
Sim, que é tão linda
Esses seus olhos
De expressão pura
E em teu sorriso
A alegria infinda
A franqueza leve
De quem crê, ainda...

Minha Amanda
Minha menina
Já não criança
Tanto me ensina
Tanto me toca
Toda emoção
Por mais que esconda
Por mais que finja
Ah, como é grande
Teu coração!

2 comentários:

celso disse...

tem toda a razão
ela é bem isso
só uma mãe poeta é capaz cantar tão bem sua filha maravilhosa, eu até já pedi ela em casamneto mas a distancia cronologica entre nós é muito grande além, de como ela mesmo disse eu sou parente.
Marvilhoso

BAR DO BARDO disse...

Os filhos são tudo, eu disse: TUDO!