sábado, 1 de novembro de 2008

[assim escrevo...]

Marcia Szajnbok

assim escrevo:
solto as mãos
no teclado, no papel
tanto faz
lápis, caneta
guardanapo, saco de padaria...
e são os dedos que inventam
que empilham as palavras
elas vêm, automáticas
passam por mim à revelia...
e quando, depois de feito,
procuro um significado,
sempre me encontro
nua
no leito
desse universo de mim
inventado...

2 comentários:

Abraão Vitoriano de Sousa disse...

o bom está aqui... comovente, tocante, adorei!

Rafael disse...

Gostei bastante... principalmente pelas imagens do cotidiano...!