quarta-feira, 17 de setembro de 2008

proparóxi-poetando

Marcia Szajnbok

ânimos
plácidos

sólidos
flácidos

mágicos
místicos

tônicos
fálicos

plásticos
úmidos

tímidos
cálidos

sílabas
átonas

bêbados
trágicos

óperas
bélicas

lapsos
tácitos


na metrópole cínica
não há pássaros
não há música
e meu cérebro ávido capta
proparoxítonas típicas

entre sinapses míticas
e memórias elípticas
lágrimas lívidas
nas páginas vívidas

Um comentário:

celso disse...

proparoxitonas
é um palavrão
mas nas mãos de uma poetisa competente como vc. torna-se
palavrinhas lindas de se ler